Arquivo por autor

Rede Estruturada e Cabeada

Rede estruturada e Manutenção

Rede de computador

Como funciona?

Através de uma rede estruturada com a ligação de dois equipamentos por um meio físico qualquer, sendo eles: ondas de rádio, cabos, infravermelho, Bluetooth, Wimax. Dependendo do meio utilizado, serão necessários equipamentos como Hub, Switch, Router.

Redes estruturadas podem ser designadas como cabeamentos que possuem a capacidade de suportar sistemas que conduzem informações dentro de um determinado edifício.

Cabos

Por sua viabilidade e velocidade de transmissão, o mais utilizado é o cabo UTP (par trançado).

Conectores

RJ45 é o mais usado hoje em dia. Devido à facilidade de encontrar erros e não necessita de configuração avançada e pode ser conectado a vários computadores.

Equipamentos

Alicate de Crimpagem, Alicate de corte, testador de cabos, conectores RJ45 e cabo UTP.

Tipos de redes

LAN: Rede de acesso local, interligadas com equipamentos, placas, processadores e possui a finalidade de troca de dados.

Outros: MAN, WAN (Rede de longa distância)/ WLAN (Rede local de acesso sem fio), WMAN e WWAN.

Modos de transmissões

Digital: Não varia de acordo com o tempo e pode assumir somente dois valores 0 e 1.

Analógico: É transmitido por meio de ondas e varia em função do tempo.

Topologias

Estrela

Anel

São conectados em série, formando um circuito fechado.

Barramento

Os computadores são ligados e um único meio.

Os projetos têm o propósito de oferecer grandes vantagens aos clientes. Onde são destacados a redução no consumo de tempo e gastos de desnecessários com a parada do sistema por uma possível falha na rede.

Em base, é um sistema que engloba diversos meios de transmissão, como cabos metálicos, fibra óptica e sem fio, garantindo assim uma implantação modular da rede com a capacidade de extensão programada.

Em uma rede que esteja estruturada de modo correto, as necessidades dos usuários podem ser atendidas com grande flexibilidade.

As mesmas possibilitam um fácil redirecionamento, contribuindo com um trajeto de transmissão entre quaisquer pontos dessa rede.

Uma conexão máxima feita de forma eficiente e assegurada para dispositivos que contenham disponibilidade preparada para as tecnologias emergentes, diagnósticos e operações são ainda mais fáceis.

Manutenções e/ou implementações feitas com segurança e controle, se tornam ainda mais possíveis com essa estruturação de sistema.

O que é Cabeamento estruturado?

É a padronização de toda uma rede de determinada empresa com o mesmo tipo de conectores e cabos.

Seu principal objetivo é transmitir sinais de voz, dados e multimídia em uma mesma infraestrutura de rede, além de melhorar a performance da rede, reduzindo custos de manutenção e possíveis expansões.

Portanto, se trata de uma rede física que pode combinar cabos UTP, blocos de conexão e adaptadores.

Quando relacionamos o conceito de ambiente de rede, estamos falando de dispositivos que são responsáveis por toda a integração de serviços (telecom e dados), que passam por algumas das instalações do edifício (entrada, armário de telecomunicações e sala de equipamentos).

Tal conceito, surgiu nos serviços de tecnologia de voz, todavia, não tardou para que se tornasse uma solução para atender aos mais variados serviços de dados.

Contudo, devido à grande adoção das empresas e organização por meio das normatizações.

Através dos anos, muitas opções foram surgindo e hoje em dia, temos as redes sem fio (Wi-Fi), que exigem um mínimo de cabos tornando a mudança de layout imediata.

Qual a sua importância?

A padronização do cabeamento estruturado permite independência de protocolos, flexibilização de instalação e fornecedores, facilidades para gerir e crescer.

Sendo assim, a mesma se faz necessário uma alteração de layout em um escritório devido a um remanejamento de pessoal e reestruturação da rede, que ajudará a evitar perda de tempo ao agilizar todo o processo.

Ao suportar muitos dispositivos de telecomunicações, é permitido ser instalado ou até mesmo modificado sem nenhuma necessidade de determinados conhecimentos sobre produtos que se utilizará.

Implementação

Antes de realizar a contratação, é essencial que se verifique se a empresa que presta o serviço, possui credencias de fabricantes.

Outro detalhe, não menos importante e de alta relevância, é toda a atenção possível a parte elétrica e aterramento.

Outro fator importante, é a avaliação da equipe de profissionais que a empresa fornece, principalmente quanto à experiência e utilização das normas técninas.

No momento da implementação, recomenda-se também se ater a extensão do cabeamento, segmentação do tráfico, aparição de possíveis interferências eletromagnéticas e inesperada necessidade de instalações em redes locais virtuais.

O propósito de um cabeamento é promover uma base sólida para o bom funcionamento das redes de informações, visando a longevidade do sistema.

A rede elétrica deve suportar todos os equipamentos que serão ligados ao cabeamento estruturado e que assegure/forneça a qualidade necessária.

Por sua vez, o aterramento deve estar alinhado à rede elétrica, de modo a oferecer toda a proteção e segurança necessárias, obviamente seguindo as normas da ABNT.

Principais normas técnicas

Em sua maioria, são internacionais, ou seja, foram criadas em institutos e/ou associações de nome renomados, como a IEEE (Institute of Electrical and Eletronics Engineers), TIA (Telecomunications Industry Association) e EIA (Eletronics Industry Association).

É possível destacar as mais conhecidas:

  • TIA/EIA – 568- C.0
  • TIA 569-B
  • ANSI/TIA 606 – A
  • ANSI/TIA 607 – B
  • IEEE -100 BASE – TX
  • TIA/EIA – 568 – C.3

Todos os citados possuem algo em comum: o tipo de cabo que é usado, bem como os limites e requisitos (distância, frequência, segmentos), ou seja, é preciso atender a todas as exigências para um funcionamento eficaz.

A NBR 16264 aprovada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas estipula procedimentos indicados para a instalação de uma rede doméstica, com isso, empresas de tecnologia passam a tê-la como uma referência para instalações profissionais.

Uma estruturação mal feita, pode representar uma porcentagem de até 70%, dos problemas relacionados à área de TI.

Subsistemas que compõem o cabeamento estruturado:

  • Área de Trabalho
  • Cabeamento Horizontal
  • Cabeamento Vertical
  • Sala de equipamentos
  • Armário de Telecomunicações
  • Entrada de Facilidades

O cabeamento estruturado é um grande diferencial competitivo.

Quais cabos podem ser utilizados?

Atualmente, os mais usados são os cabos trançados e o de fibra óptica, sendo eles selecionados conforme os objetivos do negócio/empresa.

Conhecido como “dominado” pelos especialistas, os cabos trançados são utilizados por muitos anos para a implementação de redes.

Entre suas vantagens, podemos destacar o baixo custo e a facilidade para ser adquirido pronto ou através de medida.

O cabo de fibra óptica, possui uma tecnologia que é projetada para atender um grande conjunto de benefícios.

Entre suas vantagens, destacamos que ele é livre de interferências eletromagnéticas e alta capacidade de trabalhar com taxas de transferências de dados.

Embora se destaca pelos benefícios, sua desvantagem é o custo elevado e a necessidade de mão de obra que seja especializada.

Vale ressaltar que a tendência para a migração desta tecnologia é bastante significativa.

Isso, devido ao fato do lançamento do Programa Brasil Inteligente, criado pelo Ministério das Comunicações, que antevê altos investimentos com o objetivo de disponibilizar redes de fibra óptica em uma porcentagem de 75% dos municípios brasileiros.

Resumindo, um sistema de redes estruturados viabiliza uma infraestrutura de cabeamentos que assegura e garante um desempenho previsível, desde que o mesmo seja bem planejado e instalado de forma adequada.

infraestrutura

Conserto de Notebooks

Conserto e Manutenção de Notebooks e Computadores.

A manutenção de notebooks se tornou um serviço muito importante desde o crescimento da busca desse tipo de aparelho nos últimos anos.

Em uma pesquisa feita pelo IBOPE, foi analisado que atualmente a quantidade de residências que utilizam um notebook, como principal instrumento seja para lazer ou trabalho, é de 56% e o computador tradicional, conta com um percentual de 31% e os demais, utilizam tablets e/ou smartphones.

Os notebooks normalmente, são usados por profissionais que costumam realizar tarefas regularmente pertinentes a trabalho ou estudos, o tão conhecido home office.

Até mesmo as empresas, que estão usando cada vez mais notebooks, pois isso facilita a realização de reuniões, mudanças de locais de trabalho.

Como de praxe, o mercado de manutenção de computadores, normalmente é cheio de profissionais com poucos conhecimentos, atuando de forma amadora e por consequência disso, cobram preços muito baixos.

Entretanto, essa área “escapa” da atuação desses amadores, pois exige um grau de conhecimento, principalmente em hardware, que possui muitas características específicas para determinados modelos.

É importante realçar que esses tipos de serviços, devem ser realizados por profissionais capacitadas e competentes, que tenham uma vasta experiência no mercado em que atua, não só na parte de consertar de fato o equipamento, mas também para sanar todas as dúvidas que os clientes possam ter.

Portanto, todos os serviços devem cumprir a prazos estipulados, evitando dores de cabeça para os clientes.

Para encontrar uma empresa que ofereça o serviço com segurança e qualidade, é importante realizar antes uma pesquisa de mercado, onde será possível visualizar quais as empresas que bem preparadas e estruturadas para atender a todos os clientes, de acordo com as suas necessidades.

O conserto de computadores e manutenção pode ser dividido em 2 etapas. A primeira, é a fase que transcende antes mesmo do equipamento apresentar algum tipo de falha.

Nesse caso, será feita uma manutenção preventiva, que tem como objetivo prevenir todo e qualquer tipo de problema que possa vir a acontecer, realizando avaliações com periodicidade, para que seja verificado se o mesmo funciona da forma que deve ser.

Por outro lado, a manutenção corretiva ocorre quando o aparelho já não funciona mais. Esse tipo pode trazer as características originais de volta.

Manutenção de Notebooks x Manutenção de Pcs

Os procedimentos de manutenção não são muito diferentes entre notebooks e computadores, quando se refere ao software.

Os sistemas operacionais são os mesmos, as atividades de formatação, instalação, remoções de vírus, etc.

A única diferença, está na instalação dos drivers, já que alguns são bem específicos.

Quanto em relação ao hardware, existem muitas particularidades que o profissional deve ser especializado através de cursos e treinamentos, principalmente de muita prática.

Ao começas a desmontar um notebook, as diferenças são explícitas, são modelos que possuem diferentes parafusos, localização das peças e placas que costumam mudar dependendo do aparelho, mesmo quando são da mesma marca.

Além do mais, existem algumas diferenças quanto aos componentes básicos como a CPU, HD, memória, que também possuem modelos específicos para cada notebook, principalmente em relação aos tamanhos.

O que é feito?

Para quem atua com manutenção de notebooks, deverá realizar as atividades mais básicas e que também são feitas em computadores, como formatação, reinstalação de sistemas, remoção de vírus e malwares e limpeza de software.

Deverá realizar também atividades ainda mais específicas e complexas, que podem variar de acordo com os modelos, como:

  • Troca de componentes
  • Limpeza interna 
  • Troca de teclado, tela de LCD e LED
  • Reparo da fonte de alimentação
  • Reparo da Placa-Mãe

É importante salientar que muitas diferenças são consideráveis entre as marcas e modelos.

As principais marcas no país, são: Samsung, Dell, Sony, Lenovo, Apple, MSI, Asus, Positivo e HP.

Quais os equipamentos necessários?

  • Equipamentos para pequenas soldas
  • Chaves de Fenda e Philips
  • Alicates
  • Pinças
  • Pincéis
  • Multímetro digital
  • Equipamento Anti-Estática
  • Equipamentos para realizar a limpeza (Panos de microfibra, produtos específicos e jatos de ar)

Basicamente, os equipamentos são os mesmos utilizados na manutenção dos computadores, em relação aos notebooks, geralmente, são usadas ferramentas um pouco menores.

Principais problemas encontrados em notebooks

Placa-Mãe ou Motherboard

Em todos os notebooks, normalmente todos os componentes são interligados  integrados a essa placa.

Mudanças e variações na energia elétrica podem fazem com que toda a placa mãe, ou algum componente específico queime.

Em casos assim, geralmente a manutenção consiste na substituição do componente queimado, ou de toda a placa.

Aquecimento e Cooler

É bastante comum o notebooks apresentar falhas devido ao superaquecimento, impactando principalmente em sua performance. Isso ocorre por um erro no Cooler, ou Ventuinha.

Esses dispositivos podem estar com alguma obstrução, sujeira e/ou poeira, estar queimado e/ou não funcionando, nesses casos, o indicado é a realizar a troca do cooler.

OBS: Um fator essencial é a pasta térmica que é utilizada na refrigeração dos processadores (CPUs). Essa pasta deve ser trocada regularmente para reduzir o aquecimento, além de uma limpeza interna.

HD ou Disco Rígido

Por ser uma peça sensível, as falhas nos Hds ocorrem normalmente por mal manuseio do notebooks, como quedas.

Em casos de falhas, é possível tentar fazer a recuperação dos dados.

Tela

São bem sensíveis a quedas e impactos, principalmente as de touch screen, que estão presentes em notebooks mais modernos. Neste tipo de problema, a troca de tela é inevitável.

Placas de Rede e Wireless

Essas falhas ocorrem frequentemente devido a descargas elétricas, principalmente nas placas de rede, que queimam as peças. Podem ocorrer também por uma má conexão a placa-mãe.

É interessante identificar bem as causas das falhas, pois podem estar relacionados ao software.

Por fim, a manutenção de notebooks pode se uma atividade muito lucrativa quando os profissionais são realmente qualificados, pois a demanda é cada vez crescente.

Se a sua pretensão é atuar na área, é crucial investir em cursos e qualificações para conseguir prestar um serviço que transpareça comprometimento, segurança e qualidade.

O que tornará o seu serviço um diferencial no mercado, o que ajudará consequentemente a conquistar muitos clientes.

Se você precisa de uma Assistência Técnica de Computadores pode contar com a gente.

infraestrutura

CFTV

CFTV: Tudo o que é preciso saber

Agora é possível através de smartphones, ter acesso às câmeras de segurança da sua casa ou empresa. Basta apenas ter acesso à internet.

Conheça o CFTV, a tecnologia que revoluciona o monitoramento de segurança.

CFTV, o que é?

Circuito Fechado de Televisão ou CFTV, é um sistema de segurança feito por câmeras que transmitem imagens em tempo real, enviadas diretamente para um gravador de vídeo ou central de monitoramento.

Levando em consideração o grande aumento de roubos e violências, a tecnologia CFTV cresceu de considerável, principalmente em casas, lojas, prédios, supermercados, praças, empresas e avenidas.

O grande fator do sistema, é saber exatamente quais são os pontos estratégicos, sendo eles onde existe uma grande circulação de pessoas ou até mesmo em lugares que possam gerar perdas, como nos corredores dos supermercados.

É viável para pontos que tenha uma maior vulnerabilidade, como os estacionamentos, que são propícios para atos ilícitos.

Como funciona?

O sistema funciona de maneira simples. Todas as imagens capturadas pelas câmeras de segurança, são transmitidas para um ou mais monitores.

A recepção é feita por placas DVR ou Stand Alone, o que possibilita a exibição ou a gravação, levando em conta a configuração escolhida no momento de instalação.

Existem modelos de câmeras fixas e móveis, que apresentam diversas variações: IR, CCD e CMO, MP e IP.

O funcionamento do CFTV somente será eficaz através da instalação de uma fonte de alimentação, que tenha um dimensionamento e qualidade, ambos adequados com o objetivo de garantir uma boa capacidade de sinal.

Com o avanço das tecnologias, as imagens coletadas também podem ser transmitidas para smartphones ou tablets.

O sistema funciona da mesma forma, onde as câmeras são integradas a gravadores de vídeo e tudo é realizado em tempo real, em alta resolução, dependendo do modelo.

Ou seja, o vídeo-monitoramento atribui as imagens para monitores e/ou celulares, sendo uma base indispensável não somente para a inibição de crimes, mas também como auxílio em casos investigativos.

Quais os principais tipos de CFTV?

Analógico: Nesse tipo de sistema, as ligações das câmeras conectadas aos dispositivos, são feitas por cabos coaxiais, os mesmos são responsáveis pelo sinal, fazendo o envio das imagens para os gravadores e em seguida, para os monitores.

IP: Esse tipo oferece um conjunto grande de possibilidades, ou seja, disponibiliza imagens em HD e ocorre a transmissão dos dados de voz e vídeo, simultaneamente.

Os dois modelos são os mais utilizados no mercado, em razão do custo-benefício e pelas experiências de monitoramento, tanto na segurança de patrimônios quanto residenciais.

Outra vantagem segura e convincente é que tudo pode ser acessado através de aparelhos móveis, como celulares, monitores HD, Full HD ou 4K.

Na hora da compra, é imprescindível a atenção ao escolher um determinado modelo para o gerenciamento das câmeras, que podem ser:

DVR: menor custo-benefício, com imagens e qualidades razoáveis.

É um modelo muito utilizado e oferece várias funcionalidades:

  • monitoramento em tempo real;
  • backup dos arquivos em Hds externos ou em nuvem;
  • visualização do sistema de CFTV através de smartphones ou telas;

OBS: O limite de gravações dos DVRs é de 960 linhas de resolução. Esse sistema, possui um ponto negativo: faz apenas o armazenamento de imagens analógicas.

A resolução é considerada de nível médio e o aparelho somente é indicado para quem não possui muitos recursos para investir em segurança.

NVR: Full HD, com imagens excelentes.

Permite a integração entre todas as câmeras em um mesmo aparelho. A única diferença, é a sua adequação, que apenas à tecnologia IP.

Ou seja, as câmeras são ligadas sem o uso de cabos e pela rede Wireless.

Porém, sua desvantagem é o custo. Em geral, o aparelho em si é muito mais custoso que o DVR, os cabos se fazem desnecessários, neste aspecto, há uma redução expressiva em relação aos custos.

HVR: Híbrido e funciona para câmeras tanto analógicas quanto IP.

É a união das duas tecnologias citadas anteriormente. Ela admite as câmeras analógicas e IP. Alguns modelos suportam até AHD, que possuem alta definição.

É indicado para quem quer continuar usando câmeras antigas, mas que deseja acrescentar outras tecnologias ainda mais modernas.

A desvantagem é a vulnerabilidade que a inclusão das câmeras pode trazer. Isso ocorrerá por meio do comprometimento da visualização das imagens em casos onde é preciso identificar o rosto de uma pessoa, por exemplo.

Implantação do CFTV

Ao implantar um Circuito Fechado de TV, a Empresa de CFTV a princípio fará uma necessária análise com um foco na demanda, ou seja, é preciso realizar um estudo de caso.

É importante que haja uma comunicação eficiente entre você e o Técnico em CFTV da contratada, isso devido ao fato de que cada projeto possui especificidades distintas e específicas, como o acesso ao monitoramento, proteção de ativos, controle do ambiente.

Uma orientação importante é fazer ao profissional em cftv, questões relacionadas a decisão de escolha dos locais em que as câmeras serão instaladas.

A maneira cautelosa de todos os detalhes pode interferir e fazer a diferença no monitoramento.

Além do ponto de vista operacional, a Instalação de Circuito CFTV requer uma infraestrutura de rede adequada ao sistema, para que o mesmo funcione sem interferências.

Além de tudo, a qualidade do sinal necessita de internet e integração entre todos os equipamentos.

  • Benefícios proporcionados
  • Prevenção de ações de criminosos, em consequência, de roubos
  • Redução de economia de energia elétrica

Segurança (monitoramento durante 24 horas por dia, com imagens gravadas e/ou transmitidas, apenas.

Como conectar o CFTV ao meu smartphone

Usando atalhos e protocolos simples, você pode fazer com que o DVR seja transmitido diretamente para o seu Wi-Fi e a partir disso, acessar as informações das câmeras de segurança em seu dispositivo móvel.

Em todo caso, é melhor trabalhar com especialistas que podem configurar os sistemas de CFTV por meio de um dispositivo inteligente e fornecer um aplicativo onde você poderá acessar as câmeras a qualquer momento.

Principais aplicativos de DVR no celular (Android)

  • Isic – Intelbras
  • Infinity DVR – HIKVISION
  • MonitorBee
  • IP Cam Viewer
  • Ivms 5060 – HIKVISION HQ
infraestrutura

Montagem de Patch Panel.

Um patch panel separa o cabeamento da sua rede do seu equipamento de rede.

Cada série de cabo que vai ao longo da casa, escritório ou edifício da sua rede é crimpado na parte de trás do painel de ligações.

Esta é a função da área de crimpagem do patch panel.


Ao invés de portas RJ45, este lado é equipado com os terminações para crimpagem dos cabos UTP e codificação de cores para T568A e T568B.

Há também símbolos de verificação independente de testes para UL e 3P. Para fazer esta crimpagem é utilizada a Ferramenta de Impacto, ou a Alicate de Inserção IDC .

Cada terminação da parte traseira do patch panel corresponde a uma porta na parte da frente do painel.

São utilizados Patch Cords para conectar as portas na frente do patch panel (ou painéis) no seu equipamento de rede (como switches, hubs e roteadores).

Algumas pessoas não utilizam um patch panel em sua rede, colocando conectores RJ 45 nas extremidades de seus cabos e colocando-os diretamente em seus equipamentos de rede.

Isto pode ser feito quando um orçamento é especialmente apertado, mas é algo a evitar, se possível, uma vez que pode resultar em uma grande confusão e bagunça.

Quando você tenta mudar alguma coisa no futuro, uma vez que resulta em cabos soltos pendurado para fora da parede ou teto.

Além de seus equipamentos ficarem mais sujeitos as constantes mudanças, tendo a grande probabilidade de serem danificados com mais facilidade que em uma rede corretamente estruturada.

Reflexo da transformação digital que vive o mundo, cada vez mais as empresas estão se apoiando em soluções tecnológicas para desempenhar e otimizar as suas atividades.

Independentemente do porte do negócio, a TI está presente, promovendo a modernização de processos, automatizando sistemas e tornando as atividades das empresas mais estratégicas.

Nesse contexto, a necessidade de infraestruturas de rede, comunicação e sistemas próprios da Tecnologia da Informação é uma realidade dentro da maior parte dos negócios, demandando um aparato tecnológico.

Cabeamentos, hardwares e sistemas, além de um local adequado e uma metodologia de montagem que garanta a disponibilidade contínua e eficiência da rede.

Por isso, montar um rack de infraestrutura dentro da empresa é uma alternativa ideal, sobretudo para locais em que o espaço é mais limitado e não se abre mão da boa organização do ambiente de TI.

Então, quer conhecer mais sobre o rack de infraestrutura?

Preparamos um post completo para mostrar a você o que é essa ferramenta e como montá-la. Continue com a leitura e confira!

O que é um rack de infraestrutura?

De maneira simples e direta, o rack nada mais é do que uma estrutura metálica especialmente desenvolvida para acomodar componentes de rede e informática, como cabos UTPs, patch panel, fibras, D.I.O. (Distribuidor Interno Óptico), entre outros equipamentos indispensáveis ao funcionamento da infraestrutura de rede de uma empresa.

Em geral, os racks possuem tamanhos que variam de 4“us” até 44“us” — a altura de cada “u” tem aproximadamente 4,5cm, podendo ser fixados em paredes ou colocados no piso.

Existem dois tipos de racks de infraestrutura mais usuais, são eles:

Racks abertos.

Consiste de uma estrutura retangular fixada no piso do ambiente. Esse modelo, por sua facilidade de acesso aos componentes, é mais indicado para locais fechados, nos quais há um maior controle no acesso de pessoas e funcionários, já que os dispositivos nele instalados ficam a mostra, podendo ser alterados.

Além disso, por ser aberto, também se recomenda a instalação em um local livre de resíduos, como poeira, pois podem danificar os equipamentos.

Racks fechados.

Esse é um modelo mais robusto, já que é todo fechado, dificultando o acesso irrestrito e a deterioração por ação de agentes externos, como umidade, poeira etc.

Além disso, o rack fechado tem a vantagem de se poder realizar o controle de circulação de ar interna, melhorando a dinâmica da temperatura dos equipamentos nele instalados — fator de extrema relevância para a operação da infraestrutura.

Sobre o Switch.

O switch funciona como um elemento que controla a comunicação entre os dispositivos conectados a rede.

Os switch segmentam a rede, possibilitando que o fluxo de informações entre os dispositivos seja mais eficiente.

Um switch é basicamente um equipamento para extender os pontos de rede, conectando todos os aparelhos em uma só rede, conseguindo também, transmitir vários pacotes de dados ao mesmo tempo (o que aumenta a velocidade da rede se comparado com outros equipamentos).

Além disso, tem a capacidade de aumentar o desempenho da rede Wi-Fi e manter a comunicação sempre disponível. Isto é possível, pois o switch evita a colisão de dados da rede.

O switch também permite a comunicação em redes que tenham máquinas com placas com velocidades diferentes, sem que a velocidade seja prejudicada.

Atualmente, a grande maioria das empresas utilizam switches para conectar seus computadores, impressoras, servidores e alguns outros equipamentos dentro de um prédio empresarial.

infraestrutura